chá

Chile Lidera Ranking De Consumo De Chá ♥

Ora, ora, quem diria? O Chile diria. 🙂

Ontem estávamos acompanhando as notícias do nosso país queridinho {sim, amamos Chile, Peru, Argentina, Colômbia e etc, etc, etc, etc…} e nos deparamos com o artigo que passaremos na sequência, que foi também divulgado no grupo de estudos da Escola de Chá Embahú ♥!

A matéria informa que cada habitante consome cerca de 428 xícaras de chá por ano, segundo dados da Euromonitor International. Seguido de Argentina – 94,8 xícaras (looonge, hein?) e Uruguai – 80,3 xícaras como terceiro lugar! E o Brazeel, minha gente? Bom, nós estamos lá em 8ª posição, com o consumo de 10,7 xícaras. Tá longe? Tá BEM longe! Mas, há esperança, não é mesmo?  Dados de 2016, no Chile foram consumidas cerca de 14mil toneladas de chá! GENTE: É MUITO CHÁ! Sendo responsável por 39% da fatia de mercado de consumo de bebidas quentes, deixando o café com 19%.

Com grandes nomes como Adagios (franquia que chegou ao Chile em 2014), Tea Connection (franquia argentina que chegou em 2013 e que no Brasil bem conhecemos \o/), e La Tetería (essa sim, desde 2007) chilena, o Chile conta com I N Ú ME R A S casas de chá! Além de ser muito facilmente encontrado nas redes de supermercado várias opções.

E isso deu um saudosismo em nós! Estivemos na capital, Santiago – ano passado, enquanto tudo isso estava acontecendo! Não contribuímos com a conta por habitante, mas sim, fizemos parte do consumo das 14mil toneladas hehehe :p
Contamos em nosso blog – aqui mesmo – e compartilhamos alguns vídeos em nosso canal no Youtube  onde registramos e mostramos as casas de chá que passamos pela cidade. ♥ Nosso foco foi “caçar tesouros” escondidos. E funcionou. \o Descobrimos lugares especiais, locais, fundados por chilenos orgulhosos de sua cultura – inclusive falamos da casa de chá La Tetería.
Que tal reviver um pouco desses momentos conosco?

Clica nos nas fotos abaixo e vem com a gente :D!
Ah, não esquece do Link no YOUTUBE logo após as fotos.

chá
Big Boga

No YOUTUBE: aqui.

chá
Villa Real

 

chá
La Tetería

No YOUTUBE: aqui.

chá
Délice

No YOUTUBE: aqui.

chá
Malva

No YOUTUBE: aqui.

chá
Milagritos ♥

No YOUTUBE: aqui.

Esperamos que tenham gostado e viajado conosco. E que visitem logo Santiago e as casas de chá com todo o acolhimento que a cidade pode oferecer! \o/

Un beso, Renata!

Post interpretado e traduzido livremente da matéria original: http://www.latercera.com/noticia/chile-lidera-consumo-te-la-region-sector-redobla-apuesta/

Compartilhe
FacebookGoogle+TwitterEmailGoogle GmailPinterestLinkedIn

O que você gostaria de saber sobre benefícios do chá: Catequinas!

Mah oe!!! Nós pedimos laáá no Facebook da Infusorina o que vocês gostariam de ler aqui no blog, vocês responderam e cá estamos! Inaugurando uma série de posts inspirados nos comentários. OBRIGADA! ♥ Nada como falar com quem quer ouvir e transmitir o que queremos receber, né?

Vamos lá:
Que o chá é uma bebida amplamente consumida, ♥ você já sabe! Mas será que sabe tudo, tudinho sobre o chá?

catequina
Matcha, fonte de catequina, na cerimônia Japonesa Chanoyu por Erika Kobayashi – imagem arquivo pessoal.

Não? Não se preocupe, a gente também não! 😀 Mas, o pouco que sabemos, vamos compartilhar com você nessa série linda sobre os benefícios do chá! Começando pela queridinha catequina (S).

Primeiro precisamos entender o que são!
A catequina é um fitonutriente de subclasse dos polifenóis (flavonóides). Inúmeros estudos demonstram que as mesmas estão presentes no metabolismo da Camellia sinensis – a planta do chá,  atuando como fonte de defesa da planta. Em resumo: as catequinas são fonte de saúde para a plantinha do chá e, de quebra, é uma das chaves de saúde para nós, que temos a honra de sorver uma xícara dessa bebida milenar e cheia de amor para dar.

Mas, não é só isso. Para que possamos compreender melhor, podemos ver abaixo o grupo de catequinas presentes na Camellia sinensis:


catequina
Imagem da internet.

Com isso, logo vem a pergunta: Catequinas, o que fazem, para que servem, como vivem em mim?

As mesmas estão presentes em até 8% nas folhas secas do chá, que varia muito dependendo do método de cultivo que essas plantas receberam. Mas como regra geral, a catequina está presente em maior parte no chá verde, ao contrário do que muitos pensam (a exemplo do chá preto), pois o chá preto passa em seu processo por um alto nível de oxidação, enquanto o chá verde, não, ou seja, as catequinas permanecem intactas em suas folhas. Sendo assim, as catequinas se concentram aproximadamente da seguinte forma: são 30% dos polifenóis de um chá verde e 11% dos polifenóis de um chá preto (xíc.).

Sua participação em uma xícara não necessariamente será despontada através da temperatura da água, e sim, pela qualidade (cultivar, conservação) do chá consumido. Mas, de qualquer forma, o chá verde lidera a fonte de catequina. ♥

Pois bem, aqui está: além de proteger a planta, elas são as maiores responsáveis pelo poder anticâncer do chá, que ajuda a previnir doenças cardiovasculares (junto com os taninos – falaremos em outro post), a pasmem: colaboram no retardamento do envelhecimento. São substâncias 100% mais eficazes que a vitamina C e 25% mais eficazes que a vitamina E.

Renata, qual blend da Infusorina tem maior concentração de catequina? Unânime: Amaranto.
E de nossas marcas representadas? Unânime: chá verde Amaya. ♥ 🙂
catequina
Coloque a catequina na sua vida e seja feliz! \o/

Um beijo com chá, Renata.

Fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Catequina | Tea History, Terroirs and Varieties book.

 

Compartilhe
FacebookGoogle+TwitterEmailGoogle GmailPinterestLinkedIn

Como harmonizar chá com comida?

Vamos falar do que interessa então: CHÁ COM COMIDAAAA! 😀 hehehe

Esqueçamos o emagrece engorda da vida, viu? Falemos de harmonização, petit.
Harmoniza, casa, combina, vai longe, humm! ♥

chá
Foto: acervo pessoal.

A postagem de hoje é dar uma incrementada no seu momento do chá, ou melhor: no seu #momentoinfusorina !

Quem aqui é adepto ao “Chá das 17h?”, do “Chá das 15h?” e do “Chá a todo momento?”
Concordarão comigo: sozinho ou acompanhado, o chá é bom demais! Mas, e se quisermos elevar a experiência da cia e investir na harmonia entre os sabores? Vamos conhecer um pouco mais das possibilidades de harmonização?

Começando pelo lindo do Chá Preto, presente em nosso blend Gayatri!

chá
Foto: acervo pessoal.

Intenso, aromático e saboroso, o chá preto é um excelente chá para acompanhar o almoço mas também pode ser apreciado com outras refeições, principalmente aquelas compostas por pratos de carne, pratos picantes e/ou bastante condimentados, charcutaria, molhos diversos, ovos e uma grande variedade de queijos. Em termos de doces, o chá preto é perfeito para sobremesas ricas e cremosas, bem como todo o tipo de pastelaria e chocolate, uma vez que equilibra até mesmo os sabores extremamente doces.

Com vocês… O Chá Branco, presente em nosso blend TéAmo.

chá
Foto: arquivo pessoal.

Delicado e sutil, o chá branco pede alimentos igualmente light e frescos, para não anular o seu delicioso aroma e sabor. Algumas das combinações ideiais entre o chá branco e a gastronomia incluem arroz, pratos de frango, pratos de peixe, marisco, todo o tipo de saladas e pratos vegetarianos. Dado o contraste entre a acidez e a suavidade, combina especialmente bem com os citrinos, mas também com a maior parte de sobremesas que têm na sua base fruta. O chá branco é igualmente agradável quando acompanhado de bolos, pastelaria em geral e chocolate de leite. Uma dica que a Diário do Chá nos passou com nosso blend: morango. ♥

O tão famoso… Chá verde! Presente em nosso blend Amaranto!

chá
Rocambole com chá verde Amaya.

Ahhh o chá verde, esse dança entre suavidade e força. Além de ser surpreendente, o chá verde pode transformar qualquer refeição numa experiência gastronômica inesquecível, principalmente se acompanhar sabores como arroz, pratos de frango, pratos de peixe, marisco, todo o tipo de saladas e pratos vegetarianos. SIM! O chá verde combina particularmente bem SUSHI! (quero, agora!) Em matéria de sobremesas, casa particularmente bem com fruta pura e sobremesas que contenham fruta.

Chá pós-fermentado (pu’er), presente em nosso famoso blend Hippie Chai.

chá
Foto por Fabi J.

Conhecido não só pelo seu paladar original, o chá pós-fermentado é definitivamente um daqueles chás que faz bem à saúde, principalmente ao sistema digestivo – o que faz dele um aliado perfeito para todo o tipo de pratos, principalmente alimentos com paladares mais intensos, carne vermelha, alimentos fritos, alimentos salteados e fondue de queijo. No menu das sobremesas, deguste uma bela xícara de chá pós-fermentado ao saborear o seu bolo preferido ou alguns quadrados de chocolate negro. Aliás, que tal usar esse blend como base em um risoto especial de pêra com gorgonzola? Fica excelente! 😀

Geeente, que fome – e que vontade de falar sobre chá e chocolate… hummm! Quem sabe no próximo post?
Aliás, fica a dica: ao consumir o cházinho nosso de cada dia APÓS as principais refeições, espere um pouco, para que seu organismo possa absorver todos os nutrientes, de 20 a 30minutos já tá de ótimo tamanho!
Beijo com muito chá, Renata ♥

Inspiração: Casa do Chá e misturas pessoais.

Compartilhe
FacebookGoogle+TwitterEmailGoogle GmailPinterestLinkedIn

Como Explicar o Chá Pu’er Para Seus Amigos, Com Hippie Chai.

Bommmmmmmmm dia! Para você que lerá esse post assim que for publicado! Ou, boa hora para você que está lendo esse post a qualquer hora do dia, ou da noite. ♥ 
Estamos dando continuidade – aqui e agora – para a série: Blends Da Infusorina! Iniciamos falando do Gayatri,  aqui.

Hoje é o dia do Hippie Chai! Tchanammm! \o/

– Renata, já sei! Nemm precisa gastar mais dedinhos no teclado! Eu já conheço o chai, e adooooro, aliás!

(eu ficaria muito feliz se fosse assim!) Pra gente começar, vamos esclarecer o seguintchê: Chai é uma bebida (tradicionalmente Indiana (♥) ) que leva em sua composição, especiarias. Eu me arriscaria aqui a dizer que não existe uma receita “original”,  porque o chai está na mesma do mundo dos chás, do yoga, do Egito, dos Maias… do famoso: “quando, quem, como?” – não se tem certeza absoluta de seu surgimento ou receita original – essa história fica pra outro post. hahaah

Portanto, nosso Blend não é o mesmo chai que todo mundo conhece! Amamos os dois, sério, seríssimo! Mas não é o mesmo. Nossa mistura é composta por uma base (que explicamos no post anterior sobre o Gayatri ) de Camellia sinensis, com o chá pu’er ou pu-erh acrescido de cardamomo, gengibre e goji berry.

Na época da criação, eu morava em Florianópolis/SC (Alô! ☯ Ilha da Magia!) e praticava o Hot Yoga! Uma prática maravilhosa que mistura algumas modalidades de yoga em uma sala aquecida, caso queira, conheça mais aqui. E a Infusorina só estava em meus sonhos. 🙂 Continuando – antes de ir pra aula, eu consumia o pu’er sozinho! Chá que eu havia conhecido durante um curso da Escola de Chá Embahú, e havia me aprofundado na formação como Sommelière na AR. E que até então, era um dos meus preferidinhos! Com o tempo fui percebendo uma mudança no meu corpo, o físico de dentro, sabem?  Não somente aquele que a gente vê no espelho. Mas eu sentia que a soma do chá com a atividade física e mental, era uma explosão de bons resultados. Tudo funcionava melhor, organismo, cérebro, e coração. Mas sempre que eu queria compartilhar com alguém, era aquele susto e a pessoa logo dizia: tem cheiro de velho, de mato, de chuva, de mofo… (quase que eu saltitava e dizia: SIM, SIM, SIM! ♥) e vinha seguido de um: “Não quero, não!”.  Com isso, fui tentada a misturar algo – de maneira suave e natural – no chá, de forma com que as pessoas consumissem sem que os benefícios do pu’er fossem perdidos. Adicionei gengibre e goji berry de início. Mas me faltava algo, ainda. Aquele chá pedia um almíscar, um “Q” de oriente. E veio o cardamomo. Lindo, majestoso. Finalizando assim, o meu chai. Toda orgulhosa, as pessoas gostaram e ele foi criado como o primeiro Blend da Infusorina. De todo o meu amor e fé naquela mistura que me faz tão bem. E hoje ele está aí, com capa e até rótulo, para o Brasil inteiro conhecer! ✌

Falando em conhecer, vamos entender um pouco mais sobre esse chá tão diferente e incomum (ainda) no Brasil?
Pu’er é originário da província de Yunnan, no Sul da China. Onde chás são colhidos de árvores anciãs e processados em um método chines que há anos vem trazido o consumo do pu’er como prática medicinal para as propriedades digestivas do corpo e limpeza.

Resultado de imagem para yunnan china
Província de Yunnan, na China.

Yunnan é considerado um dos berços do chá na China, e é sem duvida uma das mais antigas regiões de chazais, cultivando árvores de Camellia sinensis centenárias, falando-se até em 3.200 anos. A província tem um clima temperado, com verões fortes e invernos puxados. Com muita chuva. Além disso tudo, possui um solo rico em compostos orgânicos. Famosa por produzir o pu’er, é também uma região famosa pelos chás pretos que de lá saem, como o Yunnan Dian Hong Gong Fu. Já Pu’er tem seu nome devido a cidade de Pu’er, mesmo. ♥

Resultado de imagem para pu'er tea
Pu’er prensado.

E agora, sabendo da origem, vamos entender do que se trata esse chá tão especial? 🙂 SIM! O chá pu’er é um chá da categoria pós-fermentado, onde a enzima da oxidação não se manifesta (lembram? oxidação é diferente de fermentação!). Também conhecidos como “chás envelhecidos”, “black tea – chá preto” (para os chineses) ou “dark tea – chá escuro” (para o Ocidente). O chá pu’er pode ter sua história rastreada láááá na Dinastia Tang (618-907) quando o chá era utilizado como um complemento de sopas e caldos. Sua forma prensada foi criada devido a alta demanda de venda para principalmente China, Tibet e Mongólia. E, durante a Dinastia Song, a cidade de Pu’er foi o centro do chá na China. Hoje em dia, outras regiões o produzem como Guangxi, Anhui, Guangdong e norte do Vietnã. E para proteger de certa forma sua origem, o “Bureau of Standar Mensurement of Yunnan Province (2003)” definiu que (traduzindo livremente para o português): “Pu’er é um chá fermentado que origina do chá verde, produto originário de grandes folhas de árvores provenientes da província de Yunnan”. Básico né, gente? heheeh

Logo, considerando que o chá é um chá envelhecido, entendemos que o processo é demorado, falamos de anos, chás pu’ers de até 10 anos ou pós 10 anos – os pu’ers originais por assim dizer, são cada dia mais raros de se encontrar, e caros, também. take care

Gente, to me empolgando nesse post, mas juro que tá acabando! 😀

Vamos falar rapidiiiinho sobre as propriedades?
O Chá Pu’er tem propriedades específicas que se desenvolveram com o processo, que auxilia na dieta diária, como suplemento mesmo. Tribos nômades, por exemplo, consomem o mesmo com manteira de Yak (Iaques fofinhos!), alimentando e mantendo o shape , sabem como é. Além disso, hoje em dia as propriedades são reconhecidas como reguladoras do organismo, estimulando a digestão e ajudando a eliminar o colesterol ruim do corpo, além daquela sensação de limpeza!

VIU? COMPROVADO! \o/

eee, pra quem quer saber da cafeína, quem não? Saibam que aproximadamente, em uma xícara de 100ml, encontramos até 23mg, ficando abaixo de muito chá verde e branco, viu? Em resumo: é uma DELÍCIA!

Gente, fui clara? Espero que sim. Como sempre falar sobre chá é muito compensador, e ao mesmo tempo, demoooora – principalmente quando a pessoa que vos fala é bemmm boa daqueles papos de casa de chá ou de boteco, mesmo. hehehe
Por isso, rola uma leitura dinâmica, ae! Mas confesso pra vocês, esse post foi utilizado de muita pesquisa, pesquisa séria e tempo. Leia com carinho e transmita o mesmo carinho para a sua xícara de chai, de Hippie Chai, de pu’er, de CHÁ.

Uma linda e magavilhosa semana, afinal de contas, o Noel vem aí Sábado!!!! Você já viu que tem DESCONTO NA LOJA VIRTUAL DA INFUSORINA? 😮 Tem, sim! ACESSA AQUI O LINK.

Um beijo, muito chá. Não esquece de assinar a newslétis e deixar um recadin que a pessoinha aqui fica bemmm feliz!

♥♥♥♥♥

Renata Acácia.

Fontes:
Escola de Chá Embahú (material do curso Essencial de Chás);
Tea – History, Terroirs, Varieties | 2nd edition.
Wikipédia
El Club Del Té (material)

 

 

 

Compartilhe
FacebookGoogle+TwitterEmailGoogle GmailPinterestLinkedIn