chocolate

Vamos falar de chá e chocolate?

Tô sabendo que a Páscoa é só em abril, gente! Mas, e lá tem data para falar de chocolate? Not! Ainda mais se combinarmos essa maravilha divina como tudo  com chá! ♥ Êta trem bão!

Quem, me diz queeeeeeeem aqui, resiste a um bom chocolatinho… hein, hein? Brigadeiro, chocolate 70% cacau e blá, blá, blá. Gente, cho-co-la-te! ♥

E daí a gente te conta: chocolate super combina com chá. Aham. Simples, assim! Não?
Vamos complicar um pouquinho só pra ter o que escrever no blog :p

Partimos de uma premissa: pesquisa, experiência e conclusão, ok? De acordo com a Yuri da Escola de Chá Embahú, temos as seguintes opções de harmonização:
a) Chá e chocolate que tenham sabores complementares
b) Chá e chocolate que tenham sabores similares
c) Chá e chocolate que tenham sabores totalmente opostos

Com isso, oremos e não engordemos […]!

chocolate
Gayatri & Brigadeiro com Morangos. ♥

O Chá é uma bebida leve, que pode ter a presença do floral e do tanino, casando muito bem com as notas – por vezes fechadas, do chocolate. Como exemplo: o que casa melhor do que um chá preto {GAYATRI #ficadica} acompanhado de um bom bolo de chocolate… se esse vier com morangos, então, socorro! Chá preto sem açúcar, sim! 🙂 Afinal de contas, temos aí mesmo, o equilíbrio, a soma das notas e a explosão de sabores. ♥  Aqui são sabores que se complementam.

Mais uma, para os fãs de chocolate branco, agora! {hum, salivei haha} Chá verde Amaya com um bom chocolate branco ou ao leite… gente! Por favor, experimentem!

Sabores similares, vamos lá: Que tal um bolo de frutas e chocolate com um Blend TéAmo que leva pêra em sua composição? 🙂  Trufas e mais trufas, bombons e mais bombons, bolos, tortas, barras… Dê asas! E, já que estamos em Blumenau e adoramos um doce com salgado, vamos aos sabores totalmente opostos! Embarca no Pu’er que tem no Blend Hippie Chai, e aproveita um chocolate Amma ♥ Cacau, puro.

Nunca havia imaginado tudo isso? A gente já, e de tanto imaginar, já provou e aprovou. 😀
E o melhor: o chá é digestivo e auxilia nas gordurinhas extras ingeridas com o chocolatinocenty (:

A regra é de ouro: um chá de qualidade + um chocolate de qualidade = satisfação garantida ou seu sorriso de volta.

Um beijo, chocólatras e tealovers.
Bom chá, Renata!
{post originalmente publicado por Renata Acácia para o Blog Gastrossexual.com.br}

Compartilhe
FacebookGoogle+TwitterEmailGoogle GmailPinterestLinkedIn

Como Explicar o Chá Pu’er Para Seus Amigos, Com Hippie Chai.

Bommmmmmmmm dia! Para você que lerá esse post assim que for publicado! Ou, boa hora para você que está lendo esse post a qualquer hora do dia, ou da noite. ♥ 
Estamos dando continuidade – aqui e agora – para a série: Blends Da Infusorina! Iniciamos falando do Gayatri,  aqui.

Hoje é o dia do Hippie Chai! Tchanammm! \o/

– Renata, já sei! Nemm precisa gastar mais dedinhos no teclado! Eu já conheço o chai, e adooooro, aliás!

(eu ficaria muito feliz se fosse assim!) Pra gente começar, vamos esclarecer o seguintchê: Chai é uma bebida (tradicionalmente Indiana (♥) ) que leva em sua composição, especiarias. Eu me arriscaria aqui a dizer que não existe uma receita “original”,  porque o chai está na mesma do mundo dos chás, do yoga, do Egito, dos Maias… do famoso: “quando, quem, como?” – não se tem certeza absoluta de seu surgimento ou receita original – essa história fica pra outro post. hahaah

Portanto, nosso Blend não é o mesmo chai que todo mundo conhece! Amamos os dois, sério, seríssimo! Mas não é o mesmo. Nossa mistura é composta por uma base (que explicamos no post anterior sobre o Gayatri ) de Camellia sinensis, com o chá pu’er ou pu-erh acrescido de cardamomo, gengibre e goji berry.

Na época da criação, eu morava em Florianópolis/SC (Alô! ☯ Ilha da Magia!) e praticava o Hot Yoga! Uma prática maravilhosa que mistura algumas modalidades de yoga em uma sala aquecida, caso queira, conheça mais aqui. E a Infusorina só estava em meus sonhos. 🙂 Continuando – antes de ir pra aula, eu consumia o pu’er sozinho! Chá que eu havia conhecido durante um curso da Escola de Chá Embahú, e havia me aprofundado na formação como Sommelière na AR. E que até então, era um dos meus preferidinhos! Com o tempo fui percebendo uma mudança no meu corpo, o físico de dentro, sabem?  Não somente aquele que a gente vê no espelho. Mas eu sentia que a soma do chá com a atividade física e mental, era uma explosão de bons resultados. Tudo funcionava melhor, organismo, cérebro, e coração. Mas sempre que eu queria compartilhar com alguém, era aquele susto e a pessoa logo dizia: tem cheiro de velho, de mato, de chuva, de mofo… (quase que eu saltitava e dizia: SIM, SIM, SIM! ♥) e vinha seguido de um: “Não quero, não!”.  Com isso, fui tentada a misturar algo – de maneira suave e natural – no chá, de forma com que as pessoas consumissem sem que os benefícios do pu’er fossem perdidos. Adicionei gengibre e goji berry de início. Mas me faltava algo, ainda. Aquele chá pedia um almíscar, um “Q” de oriente. E veio o cardamomo. Lindo, majestoso. Finalizando assim, o meu chai. Toda orgulhosa, as pessoas gostaram e ele foi criado como o primeiro Blend da Infusorina. De todo o meu amor e fé naquela mistura que me faz tão bem. E hoje ele está aí, com capa e até rótulo, para o Brasil inteiro conhecer! ✌

Falando em conhecer, vamos entender um pouco mais sobre esse chá tão diferente e incomum (ainda) no Brasil?
Pu’er é originário da província de Yunnan, no Sul da China. Onde chás são colhidos de árvores anciãs e processados em um método chines que há anos vem trazido o consumo do pu’er como prática medicinal para as propriedades digestivas do corpo e limpeza.

Resultado de imagem para yunnan china
Província de Yunnan, na China.

Yunnan é considerado um dos berços do chá na China, e é sem duvida uma das mais antigas regiões de chazais, cultivando árvores de Camellia sinensis centenárias, falando-se até em 3.200 anos. A província tem um clima temperado, com verões fortes e invernos puxados. Com muita chuva. Além disso tudo, possui um solo rico em compostos orgânicos. Famosa por produzir o pu’er, é também uma região famosa pelos chás pretos que de lá saem, como o Yunnan Dian Hong Gong Fu. Já Pu’er tem seu nome devido a cidade de Pu’er, mesmo. ♥

Resultado de imagem para pu'er tea
Pu’er prensado.

E agora, sabendo da origem, vamos entender do que se trata esse chá tão especial? 🙂 SIM! O chá pu’er é um chá da categoria pós-fermentado, onde a enzima da oxidação não se manifesta (lembram? oxidação é diferente de fermentação!). Também conhecidos como “chás envelhecidos”, “black tea – chá preto” (para os chineses) ou “dark tea – chá escuro” (para o Ocidente). O chá pu’er pode ter sua história rastreada láááá na Dinastia Tang (618-907) quando o chá era utilizado como um complemento de sopas e caldos. Sua forma prensada foi criada devido a alta demanda de venda para principalmente China, Tibet e Mongólia. E, durante a Dinastia Song, a cidade de Pu’er foi o centro do chá na China. Hoje em dia, outras regiões o produzem como Guangxi, Anhui, Guangdong e norte do Vietnã. E para proteger de certa forma sua origem, o “Bureau of Standar Mensurement of Yunnan Province (2003)” definiu que (traduzindo livremente para o português): “Pu’er é um chá fermentado que origina do chá verde, produto originário de grandes folhas de árvores provenientes da província de Yunnan”. Básico né, gente? heheeh

Logo, considerando que o chá é um chá envelhecido, entendemos que o processo é demorado, falamos de anos, chás pu’ers de até 10 anos ou pós 10 anos – os pu’ers originais por assim dizer, são cada dia mais raros de se encontrar, e caros, também. take care

Gente, to me empolgando nesse post, mas juro que tá acabando! 😀

Vamos falar rapidiiiinho sobre as propriedades?
O Chá Pu’er tem propriedades específicas que se desenvolveram com o processo, que auxilia na dieta diária, como suplemento mesmo. Tribos nômades, por exemplo, consomem o mesmo com manteira de Yak (Iaques fofinhos!), alimentando e mantendo o shape , sabem como é. Além disso, hoje em dia as propriedades são reconhecidas como reguladoras do organismo, estimulando a digestão e ajudando a eliminar o colesterol ruim do corpo, além daquela sensação de limpeza!

VIU? COMPROVADO! \o/

eee, pra quem quer saber da cafeína, quem não? Saibam que aproximadamente, em uma xícara de 100ml, encontramos até 23mg, ficando abaixo de muito chá verde e branco, viu? Em resumo: é uma DELÍCIA!

Gente, fui clara? Espero que sim. Como sempre falar sobre chá é muito compensador, e ao mesmo tempo, demoooora – principalmente quando a pessoa que vos fala é bemmm boa daqueles papos de casa de chá ou de boteco, mesmo. hehehe
Por isso, rola uma leitura dinâmica, ae! Mas confesso pra vocês, esse post foi utilizado de muita pesquisa, pesquisa séria e tempo. Leia com carinho e transmita o mesmo carinho para a sua xícara de chai, de Hippie Chai, de pu’er, de CHÁ.

Uma linda e magavilhosa semana, afinal de contas, o Noel vem aí Sábado!!!! Você já viu que tem DESCONTO NA LOJA VIRTUAL DA INFUSORINA? 😮 Tem, sim! ACESSA AQUI O LINK.

Um beijo, muito chá. Não esquece de assinar a newslétis e deixar um recadin que a pessoinha aqui fica bemmm feliz!

♥♥♥♥♥

Renata Acácia.

Fontes:
Escola de Chá Embahú (material do curso Essencial de Chás);
Tea – History, Terroirs, Varieties | 2nd edition.
Wikipédia
El Club Del Té (material)

 

 

 

Compartilhe
FacebookGoogle+TwitterEmailGoogle GmailPinterestLinkedIn